Câmara Municipal de Oriente implanta Programa de Responsabilidade Socioambiental

Adequações e medidas sustentáveis estão sendo implantadas e implementadas

 

“O poder legislativo deve fiscalizar e legislar mas também devemos seguir o exemplo no que se diz respeito à uma administração sustentável”, foi assim que o presidente da Câmara Municipal de Vereadores de Oriente, Daniel Henrique Moris, resumiu as inúmeras ações que sua gestão vem implementado. O plano de implantação do Programa de Responsabilidade Socioambiental e Sustentabilidade foi aprovado por todos os vereadores e visa, entre tantas outras coisas, estimular os gestores, vereadores e funcionários a incorporar princípios e critérios de gestão socioambiental em suas rotinas, levando à economia de recursos naturais e a redução de gastos institucionais por meio do uso racional de bens públicos, da gestão adequada dos resíduos, da licitação responsável, e da promoção da sensibilização e capacitação e qualidade de vida no trabalho.

A agenda varia desde implantações de vasos sanitários com caixa acoplada, lâmpadas de LED, secador de mãos, torneiras automáticas, sensores de presença, instalações de coletores de resíduos seletivos e calçada ecológica. Todo este investimento deve gerar um custo de aproximadamente R$18 mil, porém este valor, segundo estudiosos, se reverte em economia de recursos à médio e longo prazo além de contribuir com o Meio Ambiente.

Para o vereador Rodolpho Moris, que também é integrante do Conselho Municipal do Meio Ambiente, estas adequações são de grande importância uma vez que a gestão pública pode influenciar outros gestores “a Câmara é um órgão público onde todos têm acesso, todos vamos percebendo que as melhorias na verdade geram economia, ainda que necessário um investimento inicial, todo mundo sai ganhando, inclusive o meio ambiente. Outras pessoas que frequentam a Câmara podem se inspirar e adotar medidas socioambientais responsáveis em suas áreas de atuação e até mesmo em suas casas”, complementa Rodolpho.

A calçada ecológica, por exemplo, visa uma porcentagem do ‘meio fio’ composta de grama possibilitando assim a possibilidade das águas da chuva atingirem o solo alimentando os lençóis freáticos. Outro exemplo seria os sanitários com reservatórios acoplados, estes modelos impossibilitam um possível desperdício no uso da descarga que pode chegar à 20 litros por acionamento. Secadores de mão priorizam a secagem pelo vento, utilizam energia elétrica que é considerada um tipo de energia limpa, e diminuem a quantidade de papel, consequentemente a redução de árvores cortadas. “São medidas simples que necessitam de um investimento inicial mas que a longo prazo vão fazer toda a diferença. Devemos todos fazer a nossa parte, a Câmara Municipal de Oriente está fazendo a dela”, conclui o presidente Daniel Moris.

Cerca de 60% das adequações já foram realizadas, o cronograma prevê todas as alterações realizadas ainda para este ano.

Câmara Municipal implanta Programa de Responsabilidade Socioambiental

 

 

Deixe uma resposta